quarta-feira, 24 de maio de 2017

Final de semana de lançamentos e novidades no Ziggy

Novo espaço Café Bar com happy hour, lançamento do segundo disco da banda Molho Negro e, ainda, a banda Presidente Elvis toca especial Pixies na Insanos 90.



O Ziggy Hostel Club inaugura a programação do seu Café Bar com direito a Happy Hour, toda quinta-feira, a partir desta (25), esquentando a vida noturna de Belém. Na primeira edição, o público paraense já pode apreciar um combo de happy hour mais a programação da Soul Train; na sexta-feira tem lançamento do disco novo da banda Molho Negro, com um show novo e especial e os DJS Raffael Régis e Lux; o sábado é para os saudosos dos anos 90: a Insanos 90 traz a banda Presidente Elvis tocando Pixies e, ainda, os DJs Felipe Proença e Fernando Souza. 

O Happy Hour começa às 18h e vai até 20h30, com chopp a R$5, além de cervejas, drinks e salgados especiais, fazendo um esquenta potente com o som da DJ Lux e entrada totalmente gratuita. Quando o Happy Hour termina, aí a festa começa: o público presente é convidado a ficar e participar da Soul Train, sem precisar pagar entrada. Nesta edição, a já tradicional festa das quintas do Ziggy, convida os DJS Morcegão e Bambata Brothers para agitar a pista do porão.

O Café Bar do Ziggy fica no segundo piso do casarão e terá programação toda semana, de quarta a sábado, funcionando de 16h às 22h. O Espaço é ideal para quem quiser degustar café, lanchar, bater papo e até marcar reuniões. A entrada é sempre gratuita.

E as novidades dessa semana não param por aí. Na sexta-feira (26), o power trio roqueiragem de Belém, Molho Negro, lança seu segundo disco, o “Não é Nada Disso que Você Pensou”. O novo álbum da banda contém 11 faixas e já está disponível nas plataformas de streaming na internet, podendo ser ouvido gratuitamente. O trabalho novo da banda faz uma crítica aos problemas da sociedade, isso tudo no melhor estilo Molho Negro. A noite ainda tem o show de abertura com PNK SABTHH, artista novíssimo na cena cultural da cidade, com um som trash pop eletrônico que promete ser diferente do que todos costumam ouvir por aí. Antes e depois do show os DJs Raffael Régis e Lux escolhem as melhores roqueiragens no porão pra festa ir até o final da noite.

E, para fechar o final de semana com sucesso, sábado (27) tem Insanos 90, a balada feita de hits e clássicos para os saudosos dos anos 90. Nesta edição, a banda Presidente Elvis faz um especial Pixies, tocando um repertório que passeia pelos discos da banda norteamericana, referência nos 90’s, com músicas como “Hey”, “Here Comes Your Man”, “Debaser” e entre outros clássicos.

Fernando Souza e Felipe Proença são os DJs dessa festa, e trazem o melhor da época, sempre agidanto o club do Ziggy, fazendo dessa uma das festas mais aguardadas na casa. Como convidado da festa, o DJ PJ Bastos estreia no Ziggy Hostel Club com maestria.

SERVIÇO
Inauguração Café Bar Ziggy
25 de maio, Happy Hour de 18h às 21h30
Chopp Brahma: R$ 5
DJ: Lux
Entrada gratuita

Soul Train
25 de maio
A partir de 21h
DJs: Morcegão e Bambata Brothers
Entrada gratuita para os participantes do Happy Hour

Lançamento do novo disco do Molho Negro
26 de maio
A partir das 22h
Shows: Molho Negro e PNK SABTHH
DJs: Raffael Régis e Lux
Ingressos: antecipados no sympla.com.br/ziggyhostelclub, R$ 20 (antecipado)

INSANOS 90 – Especial Pixies
27 de maio, a partir de 22h
Show: Presidente Elvis toca Pixies
DJS: Fernardo Souza, Felipe Proença e DJ convidado: PJ Bastos
Ingresso: R$ 15 até 23h, R$ 20 após.

Ziggy Hostel Club - Trav. Benjamin Constant, 1329, entre Av. Nazaré e Av. Braz de Aguiar

Projetos sociais transformam a vida de comunidades em Barcarena

Hoje (25), oficialmente, é comemorado o Dia da Indústria. Segundo dados da Confederação Nacional da Indústria (CNI), o segmento representa 22% do PIB do Brasil, respondendo por 55% das exportações, 66% da pesquisa e desenvolvimento do setor privado e 30% dos tributos federais. Para cada R$ 1,00 produzido na indústria são gerados R$ 2,32 na economia como um todo. Além de gerar emprego e renda, o setor industrial também tem investido, significativamente, em projetos sociais que tem feito a diferença na vida de milhares de pessoas. 

Nesse cenário, Barcarena, no nordeste do Pará, destaca-se com importantes iniciativas na área de capacitação profissional e educação. Um dos exemplos vem da Alubar. A empresa que é líder na América Latina na fabricação de cabos elétricos de cobre e alumínio para transmissão e distribuição de energia realiza o projeto Japiim, que há 10 anos beneficia mulheres no ofício de costura. Elas produzem parte dos uniformes dos colaboradores da empresa, que os compra e garante renda extra para o sustento das famílias.

Em 2016, a produção do Japiim surpreendeu: foram produzidas mais de 6 mil peças, superando a meta de um salário mínimo/mês para cada mãe. “Hoje, as meninas já abraçaram o ofício e estão muito mais confiantes. É bom demais ver o quanto elas aprenderam ao longo desses anos. Algumas entraram e não sabiam sequer pregar um botão, hoje temos até Microempreendedoras Individuais (MEI)”, comemora Márcia Campos, coordenadora de Projetos Sociais da Alubar.

É o caso da costureira Vanilda Barreta, 39 anos. Há quatro anos ela faz parte do Japiim, que a ajudou a ser tornar dona do próprio negócio. “Hoje tenho uma renda garantida para minha família. Para mim, repassar todo o conhecimento que tive a outras pessoas é muito gratificante e também é uma realização como ser humano e mulher”, afirma.

Na linha educacional, a Alubar desenvolve o Catavento em parceria com a Secretaria Municipal de Educação Desenvolvimento Social de Barcarena. A iniciativa realiza a formação de professores, com oficinas de capacitação, e estimula o hábito da leitura e produção textual com a doação de livros e jogos interativos, beneficiando 1300 crianças de 28 escolas ribeirinhas e uma da zona rural do município.

A professora Sandra Helena Furtado, da escola São José do Arrozal, na Ilha da Trambioca, disse que o trabalho feito por meio do projeto fortalece a prática da leitura e da escrita em sala de aula. “É um processo de aprendizado da criança de acordo com a realidade dela, principalmente das que moram nas comunidades ribeirinhas. Para nós é de suma importância porque os nossos alunos avançam na leitura”.

Como forma de valorizar a vivência e a cultura da comunidade, o projeto também lançou dois livros da série “Contando as Histórias que nos Contaram”. O primeiro intitulado “Lendas, mitos e contos de assombração” e o segundo sob o título “Fábulas”. As histórias foram reescritas pelos alunos e professores. “Amo ler e escrever, por isso fiquei muito feliz em escrever uma história, que no final traz a mensagem ‘quem não semeia, não colhe’”, conta a jovem Thayná Costa de Souza, de apenas 9 anos, que deu os primeiros passos como escritora  ao participar da segunda publicação com a fábula “A Aranha e o Macaco”.

Educação, saúde e capacitação

Ainda em Barcarena, a Imerys, que opera a maior planta de beneficiamento de caulim do mundo, localizada no município, e duas minas em Ipixuna do Pará, beneficia várias famílias com a Casa Imerys. A iniciativa, considerada o maior projeto social da mineradora no Estado, completou cinco anos em 2017, tornando-se a concretização do investimento da empresa no setor social ao beneficiar mais de 10 mil pessoas.

O projeto é o ponto de referência para as comunidades, que recebem atividades, como reforço escolar, informática, aulas de hidroginástica para a terceira idade, Programa Sorriso Saudável - que realiza atendimento odontológico e ensina bons hábitos de higiene oral -, cursos de capacitação na área de artesanato, balé, karatê e futebol. Em 2016, a Casa Imerys foi reconhecida com o Prêmio Socioambiental Chico Mendes, na categoria Ação e Cases de Natureza Socioambiental, e com o Selo Verde  Chico Mendes.

A dona de casa Josiane Andrade, moradora da Vila do Conde, comemora os resultados na vida dos filhos, que participam da atividade de reforço escolar. Cláudio, 9 anos, tinha dificuldade de aprendizagem e apresentava há dois anos um histórico de repetência e Luane, 8 anos, não sabia ler e foi alfabetizada pelo projeto. “Fico muito feliz em ver meus filhos avançando. Não tenho dúvida de que a Casa Imerys é um projeto sério que tem ajudado várias famílias carentes das comunidades de Barcarena”, declara.

A pedagoga Luiza Somenzari, que trabalha como professora na Casa Imerys, acompanhou a evolução de Cláudio e Luane e diz que é fundamental fazer um diagnóstico da dificuldade para se trabalhar em cima dela. “A proposta do reforço escolar é trabalhar as disciplinas de Português e Matemática, mas ao observar a dificuldade de leitura, criamos a linha de alfabetização dentro do reforço e isso foi muito positivo. Fruto desse trabalho é o desenvolvimento do Cláudio e da Luane. Isso é mais do que uma conquista educacional, é uma superação e elevação da autoestima dos alunos que se veem como capazes. Sinto uma emoção muito grande ao falar disso porque faço parte da história”, diz a educadora.

Há três unidades do projeto no Pará, sendo duas em Barcarena e uma no município de Ipixuna do Pará. "Buscamos a sustentabilidade das comunidades próximas às operações da empresa oferecendo oportunidades gratuitas de educação, saúde, qualidade de vida e cursos que incentivam a geração de renda local. A Casa Imerys confirma o comprometimento da empresa com as comunidades e é um investimento social voltado ao crescimento de todos”, ressalta Juliana Carvalho, coordenadora de Comunicação & Relações com a Comunidade da mineradora.

terça-feira, 23 de maio de 2017

Justiça obriga UFPA a melhorar condições de acessibilidade da biblioteca da instituição

Irregularidades prejudicam portadores de necessidades especiais e idosos, diz MPF

Justiça obriga UFPA a melhorar condições de acessibilidade da biblioteca da instituição

A Justiça Federal obrigou a Universidade Federal do Pará (UFPA) a implementar melhores condições de acessibilidade no prédio da biblioteca central da instituição, em Belém. A universidade deve apresentar projeto executivo com cronograma de providências a serem tomadas, sob pena de multa de R$ 2 mil por dia de descumprimento da decisão.

Segundo o Ministério Público Federal (MPF), autor da ação, problemas de acessibilidade na biblioteca colocam em risco a mobilidade e a integridade física dos usuários portadores de necessidades especiais ou idosos.
Entre os principais problemas identificados pelo Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Pará (Crea-PA) e pelos peritos do MPF estão a falta de sanitários acessíveis, ausência de rota de obstáculo que permita o acesso do passeio público à entrada do edifício, inexistência de piso nivelado e estável na área das vagas de estacionamento reservadas a portadores de necessidades especiais e a presença de desníveis em desconformidade com as normas de acessibilidade.

A Justiça determinou que o cronograma de ações a serem realizadas pela UFPA deve informar quais medidas ou obras serão implementadas e quais as datas previstas para início e término da execução de cada providência.

A sentença, do juiz federal Henrique Jorge Dantas da Cruz, confirma decisão liminar (urgente e provisória) de 2015 do juiz federal Cláudio Henrique Fonseca de Pina, e foi divulgada pelo MPF nesta terça-feira, 23 de maio, após o Procurador Regional dos Direitos do Cidadão, Felipe de Moura Palha e Silva, ter tomado ciência da sentença.

Processo nº 0038643-11.2014.4.01.3900 – 1ª Vara Federal em Belém (PA)

MPF recebe denúncias de autoridades e comunidades em Soure e Salvaterra, no Marajó

Informações devem resultar na abertura de dezenas de investigações para melhoria dos serviços públicos no arquipélago

MPF recebe denúncias de autoridades e comunidades em Soure e Salvaterra, no Marajó
 Imagens das atividades realizadas em Soure e Salvaterra pelas instituições promotoras do mutirão de atendimentos 

O Ministério Público Federal (MPF) percorreu nesta segunda e terça-feira, 22 e 23 de maio, os municípios de Soure e Salvaterra, no arquipélago do Marajó, promovendo reuniões com autoridades e conversando com moradores, recolhendo denúncias sobre a situação dos serviços públicos e sobre conflitos fundiários e ambientais na região. A coleta de informações do MPF faz parte de um mutirão de vários órgãos públicos que estão percorrendo 11 municípios até o próximo dia 3, com serviços médicos e odontológicos, atendimento jurídico e previdenciário.
Foram recolhidas dezenas de denúncias, principalmente sobre a precariedade dos serviços de saúde na região. Em junho de 2014, por conta da situação da saúde, uma revolta popular explodiu em Soure, com manifestantes exigindo a renúncia do então prefeito João Luiz Melo, e por fim destruindo a casa onde ele morava. Como resultado dos protestos, a cidade foi ocupada por tropas da Polícia Militar e 22 manifestantes ainda hoje respondem a processo sobre as depredações, mas a situação da saúde permanece calamitosa. O bispo emérito do Marajó, Dom José Luís Azcona, em reunião com o procurador da República Felipe Moura Palha, ressaltou que a crise política foi contida com repressão e a população hoje está descrente da política.
Além dos problemas na saúde, considerados crônicos, a região de Soure e Salvaterra tem problemas na educação, sobretudo relacionados ao fornecimento de merenda escolar, no atendimento de crianças vítimas de violência, no serviço de telefonia, nas estruturas de saneamento básico e na estrutura de ruas e estradas. Nas áreas rurais, o MPF já investiga conflitos fundiários e ambientais. As novas denúncias darão origem a investigações tanto para apurar eventuais casos de improbidade administrativa quanto para pressionar os gestores a promover melhorias no atendimento.
O MPF teve encontros com representantes de igrejas, lideranças comunitárias, representantes da câmara de vereadores e da prefeitura e com os promotores de Justiça que atuam nos municípios de Soure, Salvaterra, Cachoeira do Arari e Santa Cruz do Arari. Com o Ministério Público do Estado, ficou estabelecida uma parceria para trocas de informações nas investigações dos problemas da região.
O procurador da República Felipe Moura Palha ressaltou o papel da transparência sobre as informações públicas, tanto como um instrumento da cidadania quanto como um instrumento de comunicação da administração pública com os moradores. “Não basta publicar todos os documentos obrigatórios na internet. Transparência significa fazer a população entender o que está sendo feito com o orçamento público e como estão sendo planejados os serviços”, disse. O procurador da República lembrou que a situação gravíssima de ruptura institucional que ocorreu em Soure em 2014 era também um clamor por transparência e até hoje isso não está sendo atendido.



Atendimentos no Marajó - A Itinerância Fluvial Cooperativa da Amazônia reúne várias instituições públicas para fazer atendimentos jurídicos, previdenciários, médicos e odontológicos aos cidadãos no Marajó (PA). Participam Justiça Federal, Tribunal de Justiça do Estado do Pará (TJPA), Ministério Público Federal (MPF), Marinha, Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e a Advocacia-Geral da União (AGU).

A iniciativa começou os atendimentos em Soure e Salvaterra, e também passará por Muaná, Curralinho, Breves, Portel e Afuá. Além dos cidadãos desses municípios, a previsão é que também sejam atendidas famílias de Salvaterra, Ponta de Pedras, Oeiras do Pará, São Sebastião da Boa Vista, Limoeiro do Ajuru, Melgaço e Chaves. Estão sendo feitos atendimentos ligados à atividade-fim dos Juizados Especiais Federais, TJPA, AGU e INSS, como os relacionados a demandas previdenciárias e de atendimento aos cidadãos, e são oferecidos, pela Marinha, atendimento médico e odontológico a toda a população.
Já o MPF, além de disponibilizar os serviços da Sala de Atendimento ao Cidadão, com recebimento de demandas relacionadas às questões que competem à instituição, também está promovendo diálogos com a população sobre questões relacionadas à atuação da Procuradoria Regional dos Direitos do Cidadão (PRDC).
A PRDC atua na defesa dos direitos constitucionais dos cidadãos no Pará, agindo para que os poderes públicos garantam a proteção e defesa dos direitos individuais indisponíveis, coletivos e difusos, como dignidade, liberdade, igualdade, saúde, educação, assistência social, acessibilidade, acesso à justiça, direito à informação e livre expressão, reforma agrária, moradia adequada, não discriminação, alimentação adequada, dentre outros. Fará parte desse trabalho a discussão sobre o andamento ou sobre a implantação dos projetos MPF na Comunidade e Ministério Público pela Educação (MPEduc).

Confira as próximas datas em que o navio de atendimento do projeto Itinerância Fluvial Cooperativa da Amazônia estará em cada município:
23 de maio: Soure
25 de maio: Muaná
26 e 27 de maio: Curralinho
28 e 29 de maio: Breves
30 e 31 de maio: Portel
02 e 03 de junho: Afuá

Confira as próximas datas e locais em que serão promovidos os Diálogos MPF:
Salvaterra: 23/05 às 14h, na paróquia Nossa Senhora da Conceição (Rua Frei Romão, nº 148 – 5ª Rua)
Muaná: 25/05 às 10h, no Barracão de São Francisco de Paula (Praça Dr Cipriano Santos, centro)
Curralinho: 27/05 no Salão Paroquial da Igreja São João Batista (rua Esmeralda da Fonseca, s/n)
Breves: 29/05 às 8h na Barraca da Santa (Av Rio Branco, nº 90, Centro)
Melgaço: 30/05 às 10h, na Paróquia São Miguel
Portel: 31/05 às 8h no Auditório Manarijó da Paróquia Nossa Senhora da Luz (Praça Matriz s/n)
Afuá: 03/06 às 8h, no Centro de Educação Infantil Theopompo Nery (Av Firmindo Coelho, nº 840)


Órgãos públicos começam mutirão de atendimento aos cidadãos no Marajó

Objetivo é beneficiar 478 mil pessoas de 13 municípios
Órgãos públicos começam mutirão de atendimento aos cidadãos no Marajó
Várias instituições públicas começaram nesta segunda-feira, 22 de maio, a realizar um mutirão de atendimentos aos cidadãos no Marajó (PA). Participam Justiça Federal, Tribunal de Justiça do Estado do Pará (TJPA), Ministério Público Federal (MPF), Marinha, Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e a Advocacia-Geral da União (AGU).

A iniciativa, chamada de Itinerância Fluvial Cooperativa da Amazônia, começou os atendimentos em Soure, e até 3 de junho também passará por Muaná, Curralinho, Breves, Portel e Afuá.

Além dos cidadãos desses municípios, a previsão é que também sejam atendidas famílias de Salvaterra, Ponta de Pedras, Oeiras do Pará, São Sebastião da Boa Vista, Limoeiro do Ajuru, Melgaço e Chaves.

Atendimentos - Estão sendo feitos atendimentos ligados à atividade-fim dos Juizados Especiais Federais, TJPA, AGU e INSS, como os relacionados a demandas previdenciárias e de atendimento aos cidadãos, e são oferecidos, pela Marinha, atendimento médico e odontológico a toda a população.

Já o MPF, além de disponibilizar os serviços da Sala de Atendimento ao Cidadão, com recebimento de demandas relacionadas às questões que competem à instituição, também está promovendo diálogos com a população sobre questões relacionadas à atuação da Procuradoria Regional dos Direitos do Cidadão (PRDC).

A PRDC atua na defesa dos direitos constitucionais dos cidadãos no Pará, agindo para que os poderes públicos garantam a proteção e defesa dos direitos individuais indisponíveis, coletivos e difusos, como dignidade, liberdade, igualdade, saúde, educação, assistência social, acessibilidade, acesso à justiça, direito à informação e livre expressão, reforma agrária, moradia adequada, não discriminação, alimentação adequada, dentre outros. Fará parte desse trabalho a discussão sobre o andamento ou sobre a implantação dos projetos MPF na Comunidade e Ministério Público pela Educação (MPEduc).

Confira as datas em que o navio de atendimento do projeto Itinerância Fluvial Cooperativa da Amazônia estará em cada município:
22 e 23 de maio: Soure
25 de maio: Muaná
26 e 27 de maio: Curralinho
28 e 29 de maio: Breves
30 e 31 de maio: Portel
02 e 03 de junho: Afuá

Confira as datas e locais em que serão promovidos os Diálogos MPF:
Soure: 23/05 às 8h no Salão Paroquial da Igreja Matriz (ao lado da Igreja Matriz)
Salvaterra: 23/05 às 14h, na paróquia Nossa Senhora da Conceição (Rua Frei Romão, nº 148 – 5ª Rua)
Muaná: 25/05  às 10h, no Barracão de São Francisco de Paula  (Praça Dr Cipriano Santos, centro)
Curralinho: 27/05 no Salão Paroquial da Igreja São João Batista (rua Esmeralda da Fonseca, s/n)
Breves: 29/05 às 8h na Barraca da Santa (Av Rio Branco, nº 90, Centro)
Melgaço: 30/05 às 10h, na Paróquia São Miguel
Portel: 31/05 às 8h no Auditório Manarijó da Paróquia Nossa Senhora da Luz (Praça Matriz s/n)
Afuá: 03/06 às 8h, no Centro de Educação Infantil Theopompo Nery (Av Firmindo Coelho, nº 840)

sexta-feira, 19 de maio de 2017

Norte Energia divulga prazo final para autorização de ligação domiciliar ao Sistema de Saneamento de Altamira

Responsáveis por imóveis situados na área correspondente ao perímetro urbano de Altamira em 2009 têm até 30 de junho de 2017 para autorizar a ligação domiciliar às redes de saneamento. O prazo final, definido em conjunto com o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), foi divulgado pela Norte Energia nesta quarta-feira, dia 17, em entrevista coletiva à imprensa altamirense.

Até o momento, a Norte Energia já realizou mais de 11 mil ligações às redes de água e esgoto projetadas na cidade conforme o Projeto Básico Ambiental da Usina Hidrelétrica Belo Monte.

Para obter a autorização, a Norte Energia realiza visitas porta a porta afim de coletar a autorização para o serviço, explica a gerente do Meio Socioeconômico da Norte Energia, Luciana Galvão.  Até o momento, foram realizadas mais de 67 mil visitas. Cerca de 17 mil proprietários já autorizaram as obras.

Se o morador não for localizado nestas três tentativas, a empresa envia um comunicado pelos correios, que também procede três tentativas, registradas com Aviso de Recebimento (AR). Como principal canal de comunicação com a comunidade, a empresa dispõe do telefone 0800 091 28 10, que funciona em horário comercial de segunda a sexta-feira. A ligação é gratuita.

A construção do sistema de saneamento estava prevista no Projeto Básico Ambiental (PBA) de Belo Monte. Já as ligações intradomiciliares é um compromisso assumido pela Norte Energia após determinação do Ibama, em novembro de 2015. Ressalte-se que a legislação vigente no Brasil determina que os proprietários dos imóveis são responsáveis pela conexão do encanamento da casa ou prédio às redes coletivas de saneamento.

Siga o ParagoNews

Minha lista de blogs