segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Paragominas: ciumento é acusado de matar namorada


O crime passional aconteceu no último sábado (11), por volta das 20h, em Paragominas. “Ceará” executou sua companheira com duas facadas: uma na perna e outra no pescoço.

O crime chocou a população do bairro Jaderlândia, na periferia da cidade. Francisco Egnaldo Tavares Teixeira, o “Ceará”, conheceu Rosirene de Araújo Martins, há 15 dias, em um prostíbulo do bairro. Os dois decidiram viver maritalmente, mas, com uma condição: Rosirene deveria deixar a vida de prostituta e ser fiel a “Ceará”.

Infelizmente, o então companheiro descobriu que Rosirene continuava se prostituindo as escondidas, segundo ele, com três homens. No último sábado o casal teria iniciado um diálogo. A mulher pediu para colocar outro homem dentro da casa do marido. Ele não teria ficado nada satisfeito com o pedido, e logo, a conversa deu início à agressão verbal até chegar, de fato, as agressões físicas.

“Ceará” pegou uma faca e aplicou um golpe na altura da coxa de Rosirene. O segundo golpe ele acertou o pescoço. Ferida e desesperada, ela saiu correndo em direção a rua Leopoldina, naquele bairro, mas, não resistiu aos ferimentos e morreu próximo ao meio fio da rua.
“Ceará” fugiu do local do crime. Policiais Militares foram acionados, mas, não tiveram êxito na captura.

Os investigadores D’ellecon Oliveira e Ronald da 13ª Seccional estiveram no local, fizeram o levantamento e remoção do corpo para o necrotério do Hospital Municipal. Mais tarde ele foi encaminhado para o Centro de Perícias Científicas “Renato Chaves” de Castanhal.

As buscas pelo acusado continuaram e foram repassadas as características do acusado aos funcionários do Terminal Rodoviário de Paragominas, caso ele tentasse embarcar. Por volta das 03h da madrugada de domingo, um funcionário acionou o Ciop (190) informando que havia um homem com as mesmas características de “Ceará”. Os soldados Kenedy e Diêgo, foram ao local e o prenderam.

Ele foi encaminhado para 13ª Seccional de Paragominas onde o delegado Carlos Magalhães Gomes o autuou em flagrante por homicídio qualificado. Ao delegado ele confessou ser o autor da morte de Rosirene. Ele confirmou que Rosirene havia pedido para colocar um homem desconhecido na casa dele e que tinha conhecimento das traições que ela cometia em troca de dinheiro.

Bruno Nascimento, de Paragominas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Siga o ParagoNews

Minha lista de blogs