segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Polícia Civil apreende máquinas caça-níqueis em Rondon do Pará

Material preso
A equipe policial da Delegacia da Polícia Civil de Rondon do Pará, nordeste do Estado, sob o comando do delegado Rayrton Carneiro, apreendeu seis máquinas eletronicamente programadas, conhecidas por "caça-níqueis", durante operação no município.

Os equipamentos estavam em bares localizados no setor do mercado municipal. Os proprietários dos bares foram conduzidos até a Delegacia para responderem em Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) pela prática de jogos de azar.

A infração é capitulada no artigo 50, da Lei de Contravenções Penais. De acordo com o delegado, a ação policial é resultado de determinação da Diretoria de Polícia do Interior (DPI), para averiguar a existência dessa prática ilegal na região.

Os agentes foram até os estabelecimentos comerciais, no último dia 22. As máquinas ficarão apreendidas na unidade policial à disposição da Justiça.

Preso acusado de abusar sexualmente de criança de 5 anos em Tomé-Açu

Acusado
Os investigadores Luiz Otávio e Carlos Santana, sob comando do delegado Fábio Veloso de Castro, diretor da Delegacia de Tomé-Açu, nordeste do Pará, prenderam nesta sexta-feira, 25, Ananias Maciel, 85 anos. Aposentado, ele é acusado de ter abusado sexualmente, em sua casa, na Passagem São Sebastião, s/n°, Invasão da Portelinha, subúrbio do município, de uma menina de 5 anos de idade. O crime se registrou durante a noite, por volta de 19 horas, quando o acusado, após conquistar a confiança da vítima, aproveitou ocasião em que a menina brincava com uma colega na rua e a ofereceu biscoitos para levá-la para casa.

No imóvel, o acusado deitou a criança em sua rede e passou a cometer atos libidinosos na vítima. O crime foi descoberto depois que uma vizinha percebeu a atitude de Ananias e acionou outros moradores na área que presenciaram o crime por uma fresta na parede de madeira da casa. Revoltados, os moradores gritaram para que Ananias liberasse a menina. Após deixar a criança sair de sua casa, Ananias vestiu suas roupas e saiu em fuga para uma igreja evangélica perto de sua casa. Ele foi preso no local pelo delegado Fábio de Castro e equipe acionados pela mãe da vítima. Após ouvir relatos das testemunhas, Ananias foi autuado por estupro de vulnerável, delito cuja pena prevista é de oito a 15 anos de reclusão.

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Coca-Cola: fórmula é descoberta depois de 125 anos


Muitos tentam copiar, mas o sabor da bebida mais famosa do mundo, a Coca-Cola, é inigualável.  A receita da Coca-Cola, guardada há 125 anos como tesouro pelos proprietários da marca, foi desvendada, segundo um site de notícias. A receita estaria esquecida em uma reportagem sobre o refrigerante, publicada no ano de 1979 pelo jornal "Atlanta Journal Constitution". Na reportagem, aparecia a fotografia de uma garrafa de Coca, citando os ingredientes.  

Um amigo do criador da bebida, John Pemberton, teria escrito à mão a lista de ingredientes em um livro passado de geração em geração. A imagem da reportagem mostra esta lista de ingredientes. A Coca-Cola, que mantém a versão oficial de sua receita em um cofre em Atlanta e só dois funcionários têm a chave, não confirmou se a composição publicada é a correta.

A parte mais reveladora da lista é a que explica como misturar o 7X, substância que só representa 1% da bebida, mas que é crucial para dar o sabor característico. Para a mistura do famoso ingrediente secreto são necessárias:

- 8 onças de álcool (Nos EUA, uma onça líquida é uma medida que equivale a cerca de 29,57 ml);
- 20 gotas de óleo de laranja;
- 30 gotas de óleo de limão;
- 10 gotas de óleo de noz moscada;
- 5 gotas de óleo de coentro;
- 10 gotas de óleo de neroli - das flores da laranjeira amarga;
- 10 gotas de óleo de canela.

O restante da bebida é elaborado com:

- 3 onças de ácido cítrico;
- 2 onças e meia de água;
- uma de cafeína;
- uma de baunilha;
- duas pintadas de suco de lima;
- uma onça e meia de bala para dar cor;
- e uma quantia de açúcar, ilegível na lista.

A receita original incluía três copos de extrato de fluído de coca, ingrediente que foi retirado do composto no início do século XX, após muitas críticas contra a droga.

(DOL, com informações do site Época)

Homem encontra um ovo dentro de outro

O aposentado britânico, John Fellows, estava tentando fazer sua refeição, quando teve uma surpresa ao quebrar um ovo e encontrar outro em tamanho menor dentro do primeiro.

O homem disse ao jornal "Daily Mail" que nunca tinha passado por uma situação dessas. "Eu trabalhei na agricultura por 20 anos, incluindo aves, mas nunca vi nada parecido com isso antes", disse ele, que comprou o ovo em um supermercado de sua cidade. (eBand)

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

O Encontro Intensivo do Movimento Espírita - EIMEP está chegando!

A família espírita paraense aproveita os dias consagrados ao carnaval de forma diferente da usual. Promove, no período, o encontro conhecido como EIMEP (Encontro Intensivo do Movimento Espírita Paraense), que atende em um mesmo espaço, a família espírita.

Crianças (a partir de sete anos), jovens e adultos procedentes das casas espíritas localizadas nos diversos municípios do Pará, irão se reunir em Belém nesses quatro dias, para se conhecerem e estreitarem laços de amizade, estudando ao mesmo tempo, a luz do Espiritismo, o tema “Transição para o mundo de regeneração: medos e esperanças”.

Esse Encontro tem como objetivo oportunizar à família espírita um espaço de convivência fraterna, com vistas a análise de tema doutrinário espírita previamente escolhido e a união e unificação do Movimento Espírita e é realizado desde o ano de 1979, sob a coordenação da União Espírita Paraense, integrando, pela sua importância, o calendário cultural do Estado do Pará.

Seu grande objetivo é o de facilitar o congraçamento da família espírita e fortalecer o movimento espírita, além de ser um programa imperdível para todos os que desejam ampliar seu conhecimento a respeito da Doutrina Espírita.

Para atender a especificidade e necessidade de cada uma das faixas etárias presentes (Faixa A – 7 a 10 anos, Faixa B- 11 a 14 anos; faixa C – 15 a 17 anos; Faixa D - 18 anos em diante), aproximadamente 200 trabalhadores voluntários estão atuando há meses para garantir o máximo conforto e aproveitamento do Encontro pelos participantes.

O EIMEP tem-se constituído em um grande instrumento a favor da divulgação da Doutrina Espírita e da Unificação do Movimento Espírita Paraense, além de se poder observar nos semblantes dos participantes a alegria que se constitui sua marca registrada.

Oportunamente estarão sendo divulgadas as orientações para que as pessoas interessadas possam se inscrever no EIMEP. É importante lembrar que a inscrição é realizada através das diversas Casas Espíritas existentes nos diversos municípios do Estado.

Mega-sena segue acumulada e pode pagar R$ 28 mi

Pelo terceiro concurso consecutivo, não houve ganhador na faixa principal da Mega-Sena. Agora, a previsão de prêmio para o concurso 1.261, que será realizado no próximo sábado (26), em Tramandaí (RS), é de R$ 28 milhões.

As dezenas sorteadas ontem (23), concurso 1.260, foram 19 – 23 – 29 – 31 – 41 - 53. Mesmo sem nenhum apostador premiado na faixa principal, 70 apostas acertaram cinco dezenas e devem receber R$ 30.497,83, cada uma. Outros 5.798 bilhetes acertaram quatro dezenas e devem pagar R$ 526,00, cada.

O valor estimado do próximo prêmio da Mega-Sena é suficiente para comprar uma frota de mais de 1,1 mil carros populares ou mais de 5 mil motocicletas de 125cc. Mas se o apostador quiser investir, aplicando o prêmio de R$ 28 milhões na Poupança da Caixa, ele receberia mensalmente cerca de R$ 180 mil em rendimentos.

Outra possibilidade seria comprar imóveis. Aí, o apostador premiado, poderia comprar dois prédios inteiros, de 14 andares e quatro apartamentos por pavimento, considerando um imóvel de valor médio de R$ 250 mil.

A aposta mínima na Mega-Sena é de R$ 2,00 e pode ser feita até as 19h (horário de Brasília) de sábado, em qualquer uma das 10,7 mil lotéricas do país. O sorteio acontece a partir das 20h. (DOL, com informações da Caixa)

Governo garante pescado a preço popular para 53 municípios

Da Redação
Agência Pará de Notícias

<>
O governo do Estado vai levar as feiras do
Peixe Vivo e Popular a mais da metade dos paraenses,
em 53 municípios do estado.
A população de pelo menos 53 municípios paraenses já tem garantido pescado a preço mais baixo durante a Semana Santa. O governo do Estado vai levar as feiras do Peixe Vivo e Popular a mais da metade dos paraenses. Segundo a Coordenadoria de Pesca da Secretaria de Estado de Pesca e Aquicultura (Sepaq), o trabalho agora é para estender os eventos a todos os municípios, permitindo que o consumidor tenha um pescado a preços inferiores à metade do valor de tabela.

As feiras do Peixe Popular e do Peixe Vivo estão asseguradas nos seguintes municípios: Abaetetuba, Acará, Afuá, Altamira, Ananindeua, Belém, Benevides, Bonito, Bragança, Breu Branco, Breves, Cametá, Capanema, Capitão Poço, Castanhal, Colares, Conceição do Araguaia, Curralinho, Curuçá, Igarapé Miri, Irituia, Jacundá, Marabá, Marituba, Mocajuba, Moju, Monte Alegre, Nova Esperança do Piriá, Óbidos, Oeiras do Pará, Ourem, Paragominas, Ponta de Pedras, Portel, Salinópolis, Santa Bárbara, Santa Isabel, Santa Luzia, Santarém, Santo Antonio do Tauá, São Domingos do Capim, São João da Ponta, São João de Pirabas, Soure, Terra Alta, Tracuateua, Tucuruí, Vigia, Limoeiro do Ajuru, Marapanim, Baião e Cachoeira do Arari.

De paragominas para Belém: internauta conta aventuras para assistir ao Rainhas

D'aderson Oliveira, Orgulho de Paragominense

O concurso na sua 65ª edição emociona muita gente. Repleto de charme e beleza, o Rainha das Rainhas é um sucesso dentro e fora do país. Milhares de pessoas acessam o Portal ORM para saber mais sobre o concurso. Em apenas uma semana o hotsite do Rainhas recebeu quase 40 mil acessos, tudo isso em busca de toda e qualquer notícia sobre o evento.



Um internauta entrou em contato com o Portal ORM e contou sua paixão sobre o concurso e o que já foi capaz de fazer para acompanhá-lo de perto. D’Anderson Elias de Oliveira tem 22anos e mora em Paragominas, nordeste paraense. Ele conheceu o Rainha das Rainhas em 2005, ano este em que o evento ainda era televisionado em canal aberto, desde então não perde uma edição.

No final de 2007 o jovem resolveu que ia assistir o concurso de perto. D’Anderson é estudante de Pedagogia e atualmente trabalha como auxiliar Administrativo na Prefeitura do Município, mas naquela época ele estava desempregado. Foi então que apareceu uma oportunidade de trabalhar como papai Noel para uma loja da cidade no período de um mês.

O rapaz trabalhou dezembro de 2007 todo como Papai Noel, batendo fotos o dia inteiro com as crianças. No final, conseguiu arrecadar R$ 70, pago em janeiro de 2008, mas precisamente às vésperas do concurso, que naquele ano aconteceu dia 25 de janeiro. 'O calor era insuportável, ficava sentado do lado de fora da loja embaixo do sol quente, das 8hs às 22hs. Como sou magro, na época pesava 46 quilos, precisava dar conta do peso do enchimento da roupa. Era insuportável', comenta.

Mas, os R$ 70 que conseguiu ainda não era suficiente para arcar com todas as despesas, já que a passagem custava R$ 39 e o que ele havia conseguido com trabalho de Papai Noel não daria para chegar a capital paraense e se alimentar. Além disso, para assistir o Rainha das Rainhas, era necessário um pouco mais... 'Pedi R$ 30 para minha mãe, para ajudar', conta.


A viagem - D’Anderson saiu de Paragominas às 6h30 do dia 25 de janeiro de 2008, percorreu 300 quilômetros de estrada até Belém e chegou a capital por volta das 23h30. Após enfrentar seis horas de viagem, o rapaz não conseguiu assistir de perto o tão sonhado concurso.

Sem ter onde ficar, por não ter dinheiro suficiente, ele passou a madrugada toda acompanhando o Rainha das Rainhas 2008 em pé, na frente da televisão de uma barraca de cachorro-quente. 'Não conhecia Belém, não sabia onde era o concurso daquele ano, e fiquei por lá mesmo. A senhora da barraca me alimentou e quando acabou o concurso me levou para descansar um pouco na igreja perto do terminal rodoviário, já que eu não tinha programado onde poderia fica', comenta o jovem.

No dia seguinte D’Anderson voltou para casa de carona com um pastor da igreja onde havia passado a noite e voltou para casa de tarde, decepcionado.

Outra tentativa – Três anos se passaram e, mais uma vez, ele tenta acompanhar o concurso, mas dessa vez, no local do evento. Este ano o rapaz já sabe como chegar ao local do desfile, se programou e vem com bem mais que R$ 70. D’Anderson sai de Paragominas na madrugada de quinta-feira (24) e deve chegar a Belém pela manhã de sexta-feira (25), dia do evento. Mais uma vez vai tentar acompanhar o Rainha das Rainhas. Será que ele vai conseguir?

Redação Portal ORM

Policiais investigam roubo em loja de celulares em Rondon do Pará


"DUDU" ESTÁ PRESO
Policiais civis estão à procura de um assaltante e de um receptador de telefones celulares roubados em uma loja no município de Rondon do Pará, nordeste paraense, a 570 quilômetros da capital. O roubo se registrou no último dia 31 de janeiro. Dois homens participaram do crime. Um deles foi preso no último dia 17. Trata-se de Everson Araújo dos Santos, conhecido por “Dudu”. As investigações mostraram que enquanto um dos criminosos entrou no estabelecimento, armado com um revólver, o outro aguardou do lado de fora em uma moto Honda Biz para fuga. Da loja, 39 aparelhos foram roubados.

A Polícia Civil iniciou as investigações e chegou aos nomes dos acusados. Segundo levantamentos feitos ainda no dia do crime, Everson foi quem entrou armado na loja e subtraiu as mercadorias. O delegado Rayrton Carneiro Santos, titular da Polícia Civil no município, representou na Justiça local pela prisão preventiva de Everson. O mandado foi expedido pelo juiz de Direito, da Comarca de Rondon, Gabriel Costa Ribeiro. No último dia 17, os investigadores Francimarley e Monteiro receberam informação de que uma quadrilha estaria planejando outro roubo, desta vez, contra um estabelecimento comercial da cidade.

Os policiais foram até uma residência, onde encontraram Everson e outros dois homens. Após depoimento ao delegado, “Dudu” confessou participação no roubo à loja de telefones celulares. Os outros dois homens foram liberados após ser constatado que não havia mandado de prisão contra eles nem indícios da participação deles no crime. A proprietária da loja compareceu à Delegacia e fez o reconhecimento oficial do acusado. “Ela não teve dúvida sobre a participação dele no roubo”, explicou o delegado.

Everson declarou ainda ter vendido os aparelhos celulares por 8 mil reais em Tucuruí. Ele disse que estava em Rondon do Pará para entregar a parte do dinheiro do roubo ao comparsa do crime, cerca de 3 mil reais. A equipe de policiais civis de Rondon do Pará prossegue as investigações para chegar ao comparsa de “Dudu” e ao receptador do produto roubado em Tucuruí. A Polícia já tem os nomes e espera localizá-los em breve. Everson está recolhido na carceragem da Delegacia em cumprimento ao mandado de prisão preventiva. (PC/PA).

Policiais civis desarticulam ponto de venda de drogas em Concórdia do Pará

PRESO EM FLAGRANTE
Policiais civis prenderam em flagrante Marcos Andrade Fernandes por tráfico de drogas e porte ilegal de arma de fogo. A prisão dele foi efetuada após cerco policial no ponto de tráfico de entorpecente do acusado, em Concórdia do Pará, região do Salgado. A prisão foi realizada pela equipe policial comandada pelo delegado Cristino Sanches Júnior com participação do investigador Gonçalo Saraiva e motorista policial Almir Pantoja. Segundo o delegado, o ponto de venda de drogas já era alvo de investigações por meio de informações coletadas na área. Os policiais chegaram ao acusado por meio da denúncia de que o traficante havia feito ameaças de morte ao padrasto utilizando uma arma de fogo.

Logo após a denúncia, a equipe policial cercou o local usado na venda de entorpecente e ali prendeu Marcos Andrade. No imóvel, certa quantidade de maconha foi apreendida. Havia ainda no local um bar sem licença para funcionamento e três quartos nos fundos da casa que serviam como motel clandestino. Tudo foi fechado, assim como, o ponto de venda de drogas. O imóvel estava localizado em frente à escola pública Cristo Libertador.

O delegado Cristino Sanches explica que "o ponto de venda de drogas colocava em risco os alunos da escola, principalmente, os do turno da noite. O local era investigado, para que houvesse provas materiais e testemunhais suficientes para deflagrar uma operação policial". Após investigações, Marcos Andrade Fernandes foi preso em flagrante com uma arma de fogo calibre .38. No local, objetos foram apreendidos como meio de prova e o bar foi interditado totalmente. As ações policiais seguem diretrizes do diretor de Polícia do Interior, delegado Sílvio Maués, e do superintendente da Região do Salgado, delegado Edivaldo Nazareno Dias Lima. (PC/PA).

Mais de três mil pés de maconha destruídos em Paragominas



ERVA DESTRUÍDA
As Polícias Civil e Militar de Paragominas, nordeste do Pará, destruíram, neste final de semana, cerca de três mil pés de maconha em uma plantação localizada às margens rio Gurupi, na divisa do Pará com o Maranhão. As ervas foram encontradas na localidade da Fazenda São Marcos. O dono do terreno acionou os policiais e repassou informações de que desconhecidos estariam plantando a droga em área de preservação ambiental na fazenda. Não houve prisões.

Na semana passada, uma equipe de 12 policiais civis e militares estiveram na área tentando localizar a plantação, porém, como a área tem 6,5 mil hectares de mata virgem, não foi possível localizar a plantação na ocasião. No entanto, os agentes retornaram ao local e encontraram três áreas de plantio. Os pés de maconha já ultrapassavam dois metros de altura. Estavam em duas áreas plantadas com tamanho estimado em 300 metros quadrados cada. Em outra área plantada, os policiais encontraram pés da erva com cerca de um metro de altura.

O plantio era feito com adubo químico. Os pés foram plantados no formato de letras. A área está situada a 85 quilômetros de Paragominas. Para chegar ao local, os policiais tiveram de usar duas embarcações, do tipo voadeiras, e ainda andar às margens do rio por cerca de 5 quilômetros na mata até localizar as plantações na fazenda. (PC/PA).

Dupla de foragidos é capturada por policiais em Ipixuna do Pará

ACUSADOS
A Polícia Civil de Ipixuna do Pará, nordeste paraense, prendeu Edinei de Cristo Andrade e Antônio Maria Conceição Moreira, ambos foragidos de Justiça desde o ano de 2008. Os dois são acusados de crimes de homicídio no município. Edinei de Cristo é apontado como autor do assassinato a facadas de Alvino Alves da Silva, no início de 2008. Com as investigações, ele foi identificado, indiciado pelo crime e teve prisão preventiva decretada pela Justiça. Ao ser procurado, os policiais tomaram conhecimento de que ele havia saído da cidade e estava em local ignorado.

Após investigações, na tentativa de localizá-lo, a Polícia Civil de Ipixuna do Pará, sob comando do delegado Raphael Souza e dos investigadores Salk e Antonio Carlos, com apoio da Polícia Militar, conseguiu localizar e prender o acusado, no Ultimo final de semana. Ele já foi tranferido ao Centro de Recuperação Regional de Paragominas (CRRP), onde está recolhido. Já Antônio Maria estava foragido desde agosto de 2008. Para vingar a morte de um sobrinho, ele assassinou a golpes de terçado Deoni Pinheiro dos Santos. Na época dos fatos, Deoni foi acusado de matar o sobrinho de Antônio Maria. Com isso, Antônio e três membros da família resolveram invadir a casa de Deoni Pinheiro dos Santos e o mataram.

Os criminosos foram indiciados e tiveram as prisões preventivas haviam sido decretadas, mas ninguém havia sido preso até então porque a família fugiu de Ipixuna do Pará logo após o crime. No último final de semana, o delegado Raphael, e os investigadores Salk e Antonio Carlos tomaram conhecimento de que Antônio Maria estava na região. Os policiais fizeram buscas e o localizaram. A ação contou com o apoio da Polícia Militar. O preso foi transferido ao CRRP, onde está recolhido à disposição da Justiça. Com a prisão de Antônio Maria, os demais foragidos envolvidos no assassinato de Deoni poderão ser localizados. As prisões dos criminosos foram elogiadas pela população local, que parabenizou o trabalho das Polícias Civil e Militar de Ipixuna do Pará. (PC/PA).

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Plantações de maconha invadem áreas da Floresta Amazônica no interior do país

Roberto Maltchik

PARAGOMINAS (PA) - No último maciço de Floresta Amazônica em direção ao interior do Brasil, na divisa dos estados do Pará e do Maranhão, a ilegalidade prospera e dilapida o que deveria ser um santuário ecológico. O mosaico formado pela Reserva Biológica do Gurupi (MA) - área de preservação permanente - e três terras indígenas é povoado por madeireiras; agora, o Ibama identificou que o plantio de maconha também ressurge na área, após anos de trégua. A reserva biológica, unidade que, em tese, deveria ser intocada, transformou-se nos últimos anos em uma imagem esburacada, em que a extração ilegal de madeira é a principal fonte de renda para centenas de trabalhadores da região.

Não é à toa que, entre os fiscais, a área é considerada um “barril de pólvora”. Há quatro anos, a cidade de Buriticupu (MA), uma das principais rotas para o escoamento da madeira ilegal, foi cenário para um confronto sangrento, com uma morte e dezenas de feridos, durante operação de combate ao desmatamento. Em 2010, das 30 serrarias fiscalizadas na cidade, 80% eram clandestinas. Agora, a fiscalização identificou novos clarões de desmatamento encravados na reserva biológica.
"Naturalmente, esse deveria ser um local intocado. É o último maciço florestal, que está sendo dilapidado pelas madeireiras ilegais situadas no entorno", afirma o coordenador de Operações do Ibama, Roberto Cabral.
Não bastasse o crime ambiental, cuja a pena varia de um a cinco anos de reclusão, o desmatamento é alimentado pela crise fundiária e pela produção de maconha.

No Pará, o local está se transformando numa das maiores áreas para o plantio de maconha. É área de tráfico e consumo da droga. Essa é uma das regiões mais perigosas para a fiscalização - explica o superintendente substituto do Ibama no Pará, Alex Lacerda. 

Apesar da tensão e da fragilidade da reserva de 272.349 hectares, apenas cinco fiscais do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMbio) e dez policiais militares do Maranhão protegem permanentemente a área. Esporadicamente, o Ibama atua na região. Porém, o próprio órgão admite que não tem capacidade operacional para fazer valer a inviolabilidade da terra protegida por lei.

Paciente com câncer é rejeitada no Ophyr Loyola

No início da madrugada deste domingo (20), Francenilde Paiva de Sousa procurou a equipe do Diário Online para denunciar uma situação de descaso com a saúde pública. Segundo Francenilde, sua irmã Marinete Paiva de Sousa, 44 anos, que tem câncer de mama, procurou o Hospital Ophyr Loyola, mas foi recusada pela médica que estava no plantão.

A paciente, que veio do município de Ipixuna do Pará, se encontrava com sagramento na mama. "A médica disse que só atenderia se ela (Marinete) tivesse o resultado da biopsia, mas o exame, assim como todo o tratamento, foi feito pelo próprio hospital", indignou-se Francenilde.

Na ambulância da Secretaria de Saúde de Ipixuna do Pará a paciente sofria bastante com as dores.

"A médica nem olhou para minha irmã, nem viu como ela estava, e mandou nós voltarmos", disse Francenilde chorando.

Marinete Paiva de Sousa seguiu na ambulância para a Seccional de São Brás para registrar um Boletim de Ocorrência.

A reportagem do DOL procurou a assessoria de imprensa do hospital para se pronunciar sobre o caso, mas ninguém foi encontrado.

(DOL)

No rastro do esquema de corrupção na Sema

O advogado Ismael Moraes, 41 anos, marajoara de nascimento, possui aspectos aparentemente paradoxais: advoga, ao mesmo tempo, para diversos sindicatos de trabalhadores rurais e para o emblemático Sindicato dos Produtores Rurais de Paragominas. Ele defende madeireiros e pecuaristas, travando durante anos guerras judiciais contra o Ibama. Moraes também está à frente da defesa judicial do município de Paragominas no projeto “Município Verde e pelo Desmatamento Zero”, hoje uma referência do próprio Ministério Público Federal. Como conselheiro da Ordem dos Advogados do Brasil no Pará (OAB-PA), é duro nas punições a advogados desleais. Ao mesmo tempo, é um intransigente defensor das prerrogativas profissionais da advocacia.

Desde o ano de 2003, quando o grupo político da ex-governadora Ana Júlia Carepa, que era então senadora, assumiu o controle dos sistemas ambientais no Pará, ele faz sistemáticas denúncias de corrupção contra ela e seu ex-marido, Marcílio Monteiro, acusando-os de captação de propina através do Ibama e, depois, da Sema -quando suas declarações tiveram repercussão nacional através da revista “Veja”.

Durante os últimos quatro anos, Ismael Moraes protagonizou várias ações públicas contra atos do governo de então, como a que denunciou o abandono dos pacientes de câncer do Hospital Ophir Loyola e a que desfez o milionário acordo eleitoral entre a ex-governadora e o prefeito Duciomar Costa.
Diante das revelações produzidas a partir das investigações da Polícia Federal, publicadas com exclusividade pelo DIÁRIO, corroborando o que o advogado diz desde o ano de 2003, Moraes diz que o que está acontecendo hoje é apenas parte da “podridão intestinal” de “um corpo que já estava em decomposição por fora”, referindo-se ao governo Ana Júlia, que classifica como “desastroso”.

FÁBRICA DE DINHEIRO

Ismael Moraes sustenta que o que chama de “teia de corrupção da Sema” já existia, como em quase todas as repartições públicas, no governo Ana Júlia.

“Tornou-se uma fábrica de dinheiro, custasse o que custasse. E isso custou muito ao Estado. Diversos projetos e investimentos deixaram de ser feitos no Pará em razão dessa sofreguidão em cobrar propina de tudo em matéria de licenciamento ambiental. Não só na atividade madeireira, mas em todas. E em todos os níveis”, acusa Moraes.

Segundo o advogado, a corrupção não estava concentrada apenas nos altos escalões do governo. Para Moraes, o governo passado teria sido marcado por uma grande peculiaridade: “a prática do achaque e das dificuldades lastrearam-se em todos os escaninhos da administração”, afirma.

SEQUESTROS

Moraes afirma que na Sema, por exemplo, teria-se criado até a prática de sequestro de autos de processo por servidores subalternos.

“De repente, um processo sumia, e o particular interessado recebia um recado de que deveria pagar certo valor. Pagava e ninguém fazia nada, para que todo mundo ficasse satisfeito e todo mundo saísse ganhando”, denuncia.

Sobre o possível embaraço que essa situação poderia causar até para a governabilidade no Estado, Moraes argumenta que o governo do PT tinha essa característica porque, segundo ele, “não havia um governo” no sentido da palavra. “As coisas iam acontecendo. De uma coisa o governo passado não pode ser acusado: de que havia crime organizado. O crime era desorganizado, mesmo”.
Na opinião de Ismael Moraes, o atual governo e os próximos terão muito trabalho para tentar resgatar um mínimo de moralidade em relação ao serviço público estadual paraense.
“Ou então cairemos num atraso do nível das mais reles ditaduras africanas”, critica.
“Talvez em 2006 tenha sido pior”

Mais de R$ 30 milhões teriam sido arrecadados com irregularidades no sistema de Documento de Origem Florestal do Ibama para a eleição de Ana Júlia em 2006: é o que afirma Ismael Moraes em entrevista cedida ao DIÁRIO:

P: O senhor já fazia denúncias contra o grupo da petista desde quando ela era senadora, em 2003, ocasião em que ela indicou seu ex-marido, Marcílio Monteiro, para o Ibama. Na gestão de Marcílio no Ibama aconteceram desmandos como os de hoje?

R: Talvez tenha sido pior. No ano de 2006, Marcílio não gerenciava mais o Ibama no papel, mas era quem mandava de fato. Nessa época, foi inserido mais de 10 milhões de metros cúbicos de crédito fraudulento de carvão e mais de 5 milhões de crédito fraudulento de madeira serrada no sistema DOF (Documento de Origem Florestal) do Ibama. Foi por meio de uma senha dada a uma pessoa que sequer era servidora, que prestava serviço ao órgão por meio de uma empresa terceirizada. Através dessa operação criminosa de venda desses créditos falsos no Sistema do Ibama, estima-se terem sido arrecadados R$ 30 milhões que garantiram a vitória da candidata petista na eleição de 2006.

P: Na sua opinião, é possível deter as fraudes na Sema e no Ibama?

R: Sim, há servidores de carreira competentes e sérios nos dois órgãos, assim como existem no mercado muitos técnicos de qualidade que podem ser aproveitados. É necessário, porém, que se desfaçam armadilhas legais e burocráticas criadas para dificultar o trabalho dos madeireiros sérios e proporcionar cobrança de propinas e a venda de créditos fraudulentos.

P: Por exemplo?

R: Neste período do nosso inverno amazônico, está sendo aplicada uma resolução do Conama [nº 406/2009] que proíbe a exploração florestal de projetos de manejo no período chuvoso no bioma amazônico, mas isso está se impondo indiscriminadamente. Essa norma facilita a venda de crédito fraudulento, pois o papel forjado no sistema não está calcado, não depende de planos de manejo. E o madeireiro ilegal derruba a floresta em qualquer época do ano e, em qualquer lugar, serra a madeira, pois essa norma não proíbe o transporte de madeira serrada, nem poderia. Por outro lado, um grande número de madeireiros corretos paralisa suas atividades temendo ser surpreendido por uma fiscalização. Isso engessa a economia, gera desemprego e diminui a arrecadação de impostos, cria um espiral de pobreza.

P: Há madeireiros corretos?

R: Sim, e muitos. O problema é que eles não tiveram firmeza em resistir aos achaques; foram covardes. Também não se modernizaram e não se organizam por meio de entidades fortes.

P: A impunidade estimula a corrupção?

R: Evidente que sim. O ex-secretário de Estado de Meio Ambiente, Aníbal Picanço, desde que era superintendente do Ibama no Pará, colocado por Marcílio Monteiro, deu demonstrações de riqueza do dia pra noite. Passeava todo final de semana na orla de Belém em uma lancha avaliada em 1,5 milhão de dólares, às vezes em companhia de outras autoridades federais. O cidadão médio acaba achando que isso é o certo e que só existe esse caminho para resolver as coisas. Temos a responsabilidade, cidadãos e Poder Público, de punir isso tudo, ou acabaremos com a República.

P: O senhor não teme ser processado por suas afirmações?
R: Eu desafio a quem acuso a me processar. Tenho provas do que digo. A única vez em que me levaram a juízo foi para responder a uma interpelação, ocasião em que confirmei tudo o que disse. Aí não tiveram coragem de me processar. Na Polícia Federal, já dei depoimento reafirmando as acusações que faço.
(Diário do Pará)

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Policiais civis de Paragominas recapturam fugitivo de presídio

Após trabalho conjunto realizado pelas Polícias Civil e Militar, foi preso em Paragominas, nordeste paraense, o foragido Eduardo Pereira dos Santos, também conhecido por “Dóci”. Ele confessou ser o autor do latrocínio que vitimou o professor e enfermeiro Manoel Pereira da Silva, 53 anos. O crime se registrou em 22 de janeiro deste ano. Eduardo é fugitivo do presídio Centro de Recuperação Regional de Paragominas, do Sistema Penitenciário do Pará.
“Dóci” é acusado de esfaquear a vítima para roubar a bicicleta, dinheiro e o telefone celular, e depois vender os objetos para comprar drogas e bebida alcoólica. O professor foi abordado enquanto caminhava para casa após sair de um bar. Ele reagiu ao assalto e acabou esfaqueado na região abdominal.
A Polícia Civil de Paragominas, por meio dos investigadores Euclides Júnior, Tasmânio Deleconn, Roseli Vinas e Igor, e escrivães Jonas Libório e Wesley Santos, sob coordenação do delegado Raphael Cecim, com o apoio da Polícia Militar, prenderam logo em seguida o acusado.
Ele é processado por diversos crimes de roubo na região. Ao ser interrogado, Eduardo confessou o crime e alegou que cometer roubos para obter dinheiro e, assim, comprar drogas e bebidas. Eduardo Pereira dos Santos já está novamente recolhido no presídio de Paragominas.

Ações policiais resultam em prisões de 4 criminosos em Tucuruí

As ações conjuntas das Polícias Civil e Militar na repressão à criminalidade resultaram nas prisões de quatro homens acusados dos crimes de porte ilegal de arma de fogo, roubo e tentativa de homicídio, em Tucuruí, sudeste do Pará. As prisões aconteceram entre os últimos dias 15 e 17. Um deles é Edson de Carvalho Souza, conhecido por “Neném”, flagrado com um revólver calibre 38 após denúncia de que estava fazendo disparos a esmo em via pública.
Abordado por policiais militares, ele estava visivelmente alcoolizado. Conduzido à 15ª Seccional de Tucuruí, o preso foi autuado em flagrante pelo delegado Jivago Ferreira. Ao escrivão Gustavo Portugal, o acusado confessou a autoria dos disparos, mas alegou não se recordar dos fatos, pois estava bêbado. Edson está encarcerado à disposição da Justiça local. Em outro flagrante, no dia 16, foram presos e autuados pela delegada Rosinara Abreu, por roubo, Isaac Melo Wanzeler e Ednardo dos Santos Sales, de apelido “Baiano”. Armados com um revólver calibre 38, a dupla roubou uma motocicleta e um aparelho celular em via pública. Após o crime, a Polícia Militar perseguiu os bandidos e os interceptou em frente à barragem da Hidrelétrica de Tucuruí em direção ao município de Breu Branco. Os presos foram apresentados na Seccional para as formalidades legais juntamente com a arma do crime, três telefones e o veículo.
Em depoimento ao escrivão Antônio Borges, “Baiano” confessou o crime. Ele conta que Isaac, seu comparsa, veio a Tucuruí para comprar o revólver e roubar uma motocicleta. Isaac alegou ter conhecido “Baiano” em Tocantins. Depois, passou dois dias em Marabá e como tem parentes em Tucuruí resolveu ficar alguns dias na cidade. O delegado Carlos Magalhães, diretor da Seccional, informa que ambos têm passagens pela Polícia. “Baiano” tem ampla ficha criminal na Justiça de Tocantins, inclusive com mandado de prisão decretado nesse Estado.
Já, nesta quinta-feira, a delegada Rosinara Abreu autuou em flagrante Raimundo Veras Lima por tentativa de homicídio. Armado com um revólver calibre 38, ele atirou três vezes contra a vítima, um conhecido de trabalho, com quem era acostumado a beber. Há dez dias, Raimundo foi ameaçado pela vítima. Ontem, dia 16, ao passar em frente da casa da vítima, Raimundo, sem motivo aparente, entrou na casa e a baleou.
Em depoimento ao escrivão Antônio Borges, Raimundo alegou não saber porque decidiu atirar na vítima. Após o disparo, ele jogou a arma em um rio que passa próximo ao local do crime. Os investigadores Donato e Marcelo, após conhecimento do crime, prenderam o acusado, no bairro Nova Conquista. A arma não foi encontrada. Apenas as duas munições que estavam em seu bolso. O delegado Carlos Magalhães disse que a vítima está internada no Hospital Regional de Tucuruí com um tiro na cabeça e que, segundo os médicos, o estado é grave.



Delegado-geral renova diretrizes operacionais em Paragominas

Intensificação de operações para repressão à criminalidade, melhoria da qualidade do atendimento ao público, atuação com ética profissional e acompanhamento das estatísticas policiais. Estas e outras orientações foram dadas, nesta quinta-feira (17), pelo delegado-geral Nilton Atayde durante encontro com policiais civis, em Paragominas, nordeste do Pará. Na oportunidade, a Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher local recebeu uma viatura nova. A reunião com os servidores foi realizada no auditório da Prefeitura Municipal de Paragominas. O encontro contou com presenças de delegados, escrivães, investigadores e motoristas policiais que atuam no município e nas Delegacias vinculadas à Superintendência Regional da Polícia Civil na Zona Guajarina, como Mãe do Rio, Ipixuna do Pará, Dom Elizeu, Rondon do Pará e Ulianópolis. A corregedora-geral da Polícia Civil, delegada Nilma Lima, e o diretor de Polícia do Interior, delegado Sílvio Maués, também estiveram presentes no encontro.
O vice-prefeito de Paragominas, Paulo Tocantins, representou o Poder Executivo Municipal no evento. O encontro foi presidido pelo superintendente regional da Polícia Civil, delegado José Ricardo Oliveira, e pela delegada Carmem Suely Silva, corregedora regional. Após a reunião, o delegado-geral fez a entrega oficial de uma nova viatura recebida pela delegada Mahenalwa Furtado, titular da DEAM de Paragominas.
Ascom PMP. 

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Receptador é flagrado com peças e moto roubados em Tucuruí

LUCINEI SILVA
O delegado Jivago Ferreira, da Seccional Urbana de Tucuruí, sudeste do Pará, autuou em flagrante, nesta terça-feira (15), Lucinei Borges da Silva, por crime de receptação. Ele foi preso após denúncia anônima repassada a policiais militares. A informação dava conta de que ele venderia peças de motos roubadas em uma área do município.

Assim, durante apuração da denúncia, os agentes constataram que, além de estar com peças de motos roubadas, o acusado estava também com uma moto furtada no sábado passado à noite. Com isso, os policiais o prenderam e o conduziram à unidade policial. O veículo e as peças desmontadas foram apreendidos. Depois, a moto furtada foi devolvida ao dono. Um inquérito foi instaurado para apurar o cometimento do crime de roubo. O delegado Carlos Magalhães, diretor da Seccional, disse que as ações de repressão aos crimes de furto e roubo continuarão, principalmente, voltadas à prisão de receptadores que incentivam esse tipo de prática criminosa na região.

Preso acusado de aplicar golpe do INSS em Santa Maria do Pará

NOTAS E CÓPIAS APREENDIDAS COM ACUSADO
Considerado um dos maiores estelionatários da região nordeste do Pará, Fernando Martins Conceição Reis, 56 anos, está preso na Delegacia de Santa Maria do Pará. Flagrado por policiais militares, o acusado estava com documentos e dinheiro obtido com uma vítima no momento da prisão. Ele enganava pessoas sob alegação de que conseguia agilizar benefícios junto ao INSS. A prisão dele foi possível graças ao reconhecimento do acusado pela vítima, prima de uma mulher enganada pelo golpista na zona rural de Igarapé-Açu, e pela divulgação da imagem dele nos jornais. De acordo com o delegado Otto Wirtz, titular da Delegacia de Santa Maria do Pará, no último dia 7, Fernando Reis foi reconhecido nesse município por uma mulher.

Levado para a Delegacia, a equipe policial apurou, por meio do relato da vítima, que ele se apoderou de R$ 600 dela, sob promessa de aposentar lhe os dois filhos deficientes físicos. O fato ocorreu na zona rural de Igarapé-Açu. Segundo o delegado, o que chamou a atenção dos policiais foi a extensa ficha criminal do acusado, que já responde a sete inquéritos por crime de estelionato em Santa Izabel do Pará e outro por estupro contra a própria filha em Castanhal. Após ser indiciado em mais um inquérito, o acusado prestou declarações e foi liberado. Contudo, Fernando voltou a cometer o golpe.

Sob pretexto de agilizar vantagens junto ao INSS, ele procurou uma senhora que reside em Santa Maria do Pará. A ela, Fernando disse que iria “agilizar” junto ao INSS um Salário-Maternidade a que a mulher teria direito. Inclusive, segundo as investigações,  ele chegou a fornecer lhe um número de telefone celular para manter contato. A mulher é prima da outra vítima do acusado. Ela o reconheceu por meio de uma foto publicada em jornal.

Assim, a senhora entrou em contato com o acusado dizendo-se interessada em obter o Salário Maternidade, mas alegou só poderia pagar a quantia de R$ 150. Ela, então, tirou cópias de duas cédulas (uma de R$ 50 e outra de R$ 100) e ficou no aguardo de Fernando. Após receber o dinheiro e as documentações pessoais da vítima, Fernando foi preso por uma guarnição da PM, sob comando do sargento Lima, no momento em que deixava a casa da mulher. Os policiais foram acionados pela vítima. Fernando foi parado e revistado. No bolso da calça dele, estavam as notas originais e os documentos da vítima que foram comparados com as notas fotocopiadas. Com isso, os policiais  o conduziram à unidade policial local.

O delegado Otto Wirtz determinou ao escrivão Jaimielson a lavratura do procedimento de flagrante delito contra o acusado por estelionato, com base no artigo 171, do Código Penal, ou seja, obter vantagem ilícita induzindo alguém a erro, cuja pena é de reclusão, de um a cinco anos, e multa. Fernando não teve como negar as acusações e admitiu que não conhece ninguém dentro do INSS. Ele tentou justificar os golpes sob alegação de que são as vítimas que o procuram e, por isso, afirma que não consegue resistir à tentação de enganá-las. O delegado espera que, com a prisão, Fernando Reis não volte mais a cometer os delitos. Ele ficará preso à disposição da Justiça. Com a prisão dele, muitas outras vítimas deverão aparecer nos próximos dias. Cada caso terá um inquéritos  instaurado para apurar os crimes cometidos pelo acusado.

Casal preso em flagrante com cocaína no município de Tomé-Açu

Acusados
Policiais civis, sob coordenação do delegado Fábio Veloso de Castro, com apoio de policiais militares, prenderam em flagrante o casal Olival Trindade Ferreira, de apelido “Babalu”, de 51 anos, e Leonice da Silva Santos, 40, por tráfico de drogas, em Tomé-Açu, nordeste do Pará.

Em poder deles, os policiais apreenderam 184 “petecas” de pasta de cocaína e mais 30 gramas do produto em formato de pedra.

A ação policial foi realizada ontem pelos investigadores Carlos Santana e Luiz Otavio Bacelar, com apoio do Destacamento da Polícia Militar de Tomé-Açu. 

O casal comercializava drogas em uma casa na Invasão da Portelinha, Distrito Industrial de Tomé-Açu. Os policiais já investigavam a prática criminosa no local há uma semana. A abordagem no imóvel aconteceu após os agentes confirmarem que o local era ponto de venda de cocaína. Assim, os policiais cercaram a casa e abordaram os acusados.

A residência é considerada uma das "bocas-de-fumo" mais movimentadas da cidade. As drogas foram encontradas dentro de uma lata de fermento.

As “petecas”, segundo Olival, seriam vendidas na casa pelo casal por R$ 10 cada.
Durante a revista, foi encontrada embaixo do sofá uma espingarda de caça de calibre 16, bem como cinco cartuchos de munição de mesmo calibre. 

Diante disso, o casal foi preso e conduzido à Delegcia para responderem por tráfico de drogas. Olival Ferreira foi autuado também pelo crime de posse ilegal de arma de fogo.

Conforme o delegado, ele já é reicidente no crime de tráfico de drogas, pois já foi preso em 2004.
Consta ainda que Olival um indiamento por crime de receptação em Acará.

Segundo o delegado Fábio de Castro, a prisão de Olival representa um golpe no tráfico de drogas na área do Distrito Industrial de Tomé-Açu, principalmente, na área da Invasão da Portelinha.

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Fazendeiro cobra até lona de barraco dos escravizados

Aliciadas em Paragominas (PA), as vítimas foram encontradas no fim de janeiro em São João do Carú (MA), nas Fazendas Asa Branca I e II. Entre os escravizados, havia três adolescentes com 16 anos de idade e duas mulheres

Por Bianca Pyl

O grupo móvel de fiscalização e combate ao trabalho escravo libertou 20 pessoas que eram obrigadas a pagar até pela lona que cobria o barraco improvisado como alojamento. As vítimas foram encontradas no fim de janeiro em São João do Carú (MA), nas Fazendas Asa Branca I e II. Entre os escravizados, havia três adolescentes com 16 anos de idade e duas mulheres.

Todos foram aliciados em Paragominas (PA) por um "gato" (intermediário na contratação). Eles faziam a "limpeza" da área, retirando arbustos e ervas daninhas, para expansão da atividade pecuária.

Os empregados eram obrigados a viver em dois barracos cobertos por lona preta e folhas de bananeiras que eles mesmo construíram. A estrutura dos barracos era de madeira roliça, facilmente encontrada na mata nativa. "O custo era zero para o empregador, já que a madeira e as folhas de palmeira ainda podem ser colhidas gratuitamente", explica Klinger Moreira, auditor fiscal do trabalho que coordenou a operação do grupo móvel. 

O metro de lona preta custa R$ 0,50. Mas nem com essa despesa o empregador Francisco Costa da Silva arcou. Ele pretendia descontar o valor do material dos vencimentos dos próprios empregados.

Para preparar a comida, os trabalhadores construíram um fogão de barro, para ser alimentado a lenha. O objeto dividia espaço com as redes. Não havia instalações sanitárias e as vítimas utilizavam as imediações dos barracos como banheiro. As pessoas se banhavam em um igarapé. Para garantir um mínimo de privacidade, o grupo fincou palhas de palmeira para cercar o espaço em volta do local que permitia acesso às águas.

As roupas de cama utilizadas, compara Klinger, era semelhante às de moradores de rua. "Eram sujas e esfarradas. Mesmo assim, eram as únicas que eles dispunham para se proteger à noite. Ressalto que essas roupas de cama foram trazidas de suas casas", conta o auditor fiscal.

O empregador cobrava também pela péssima comida que fornecia aos empregados. Não havia local adequado para armazenar os alimentos. A água consumida vinha de caçambas cavadas diretamente na terra ou em córregos próximos ao acampamento. Nas frentes de trabalho, não havia água potável, banheiro e local para refeições. 

Nenhum trabalhador possuía registro em Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS). O empregador pagou mais de R$ 63 mil referentes à rescisão do contrato de trabalho. As vítimas retornaram ao Pará, tendo suas viagens custeadas pelo empregador. Parte dos libertados estava na propriedade há cerca de um mês, desde 26 dezembro.

Os 17 adultos terão direito às três parcelas do Seguro Desemprego para Trabalhador Resgatado. Foram lavrados 12 autos de infração. O procurador do trabalho Marcos Rosa também participou da ação.

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Presidiário é flagrado com drogas em presídio no município de Tucuruí

VALBEANES COSTA

A delegada Rosinara Abreu, da Seccional Urbana de Tucuruí, sudeste do Pará, autuou em flagrante, ontem, por tráfico de drogas, o presidiário Valbeanes Costa Machado. Ele foi flagrado, no interior do Centro de Recuperação Regional do município com 14 “cabeças” de nóia, droga derivada da cocaína. Também foi achado, em poder do preso, uma muca de maconha e um telefone celular. A descoberta das drogas e do aparelho aconteceu durante revista de rotina na casa penal. Valbeanes cumpre pena, no presídio, por crime de assalto a mão armada.
Os produtos estavam escondidos dentro de um ventilador no interior da cela em que se encontrava recolhido o preso. De imediato, o presidiário confessou aos agentes prisionais que a droga era de sua propriedade. Ainda, conforme o presidiário, o entorpecente seria usado apenas para consumo próprio. Em depoimento, à delegada, Valbeanes alegou que o entorpecente e o aparelho celular teriam sido jogados por cima do muro que cerca a área do regime semi-aberto. Ele alega não saber quem teria feito a entrega dos materiais. O fato será apurado em inquérito policial.

Dupla é presa em flagrante por tráfico de drogas em Rondon do Pará

O delegado Rayrton Carneiro, titular da Polícia Civil em Rondon do Pará, nordeste do Estado, autuou em flagrante, por tráfico de drogas, Bruno de Sousa Lima e Fabiana Costa de Sousa. Os dois foram presos no domingo passado. Bruno foi abordado por policiais militares no momento em que saía de uma casa que já era investigada por policiais civis.
As suspeitas eram de que o local seria usado como “boca-de-fumo”. Ao ser revistado, o suspeito estava com 12 “pedras” de crack prontas para o consumo. Bruno confirmou aos policiais que conseguiu a droga na residência que seria de propriedade de um homem de prenome Adriano, conhecido como “Cambotá”. Na casa, os policiais foram recebidos por Fabiana, companheira do suspeito. Aos agentes, ela disse não saber onde estava “Cambota”, mas autorizou a entrada de policiais militares.
FABIANA SOUSA
BRUNO LIMA

Mais de quatro “pedras” de crack, além de R$ 510 em notas de 10 e 20 reais; uma touca preta, do tipo balaclava e dois aparelhos celulares, foram encontrados no imóvel. Fabiana estava com quatro crianças em casa, todas filhas dela. O delegado Rayrton Carneiro ouviu as partes e autuou em flagrante delito Bruno e Fabiana por crime tipificado no artigo 33, da Lei nº 11.343/06.
O delegado encaminhou as crianças ao Conselho Tutelar de Rondon do Pará. “É lamentável que uma pessoa se envolva com a criminalidade e os filhos tenham de sofrer pelos atos praticados pela mãe, inclusive um bebê de três meses, ainda em período de amamentação”, disse o delegado Rayrton Carneiro. O juiz da comarca de Rondon do Pará manteve o flagrante e determinou a transferência da presa para o CRAMA (Centro de Recuperação Agrícola Mariano Antunes), em Marabá.

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Governo registra queda nos índices de criminalidade no Estado

O governador Simão Jatene participou, na manhã desta sexta-feira (4), da reunião semanal do Comitê de Gestão Integrada de Segurança Pública do Pará, formado pelos dirigentes dos órgãos do Sistema de Segurança Pública do Estado (Secretaria de Segurança Pública, Polícia Militar, Polícia Civil, Corpo de Bombeiros, Superintendência do Sistema Penitenciário, Centro Estratégico Integrado e Departamento Estadual de Trânsito). 

De acordo com os números apresentados, comparando as estatísticas dos meses de janeiro de 2010 e janeiro de 2011, os crimes contra o patrimônio tiveram uma queda de 12% e os crimes contra a pessoa, 7%. Os crimes contra os costumes apresentaram uma redução de 12% e os de contravenção penal, 11%. Quanto aos roubos, as estatísticas apontaram uma queda de 18% em todo o estado. Os crimes de homicídios registrados na Região Metropolina de Belém (RMB) caíram em 27% e em 50% na capital.

O encontro, que foi realizado no auditório do Palácio dos Despachos, na rodovia Augusto Montenegro, em Belém, também contou com a presença de oficiais comandantes de unidades da Polícia Militar (Batalhões, Companhias e Zonas de Policiamento), localizadas na Região Metropolitana, e de delegados da Polícia Civil que atuam em delegacias e seccionais da Grande Belém.

O Comitê de Gestão Integrada reúne-se todas as terças-feiras e, uma vez ao mês, o encontro dos dirigentes do Sistema de Segurança contará com a presença do governador do estado. Esta foi a primeira reunião presidida por Simão Jatene.

Durante a reunião no Palácio, a Segup apresentou o resultado do primeiro mês de trabalho da área de segurança do atual governo. As estatísticas foram apresentadas pelo diretor do Centro Estratégico Integrado (CEI), Antônio Farias. Sob a ótica da análise criminal, ele expôs um relatório sobre as principais modalidades de crimes, baseado em dados estatísticos. O diretor do CEI informou que, a partir de agora, o relatório de assuntos de interesse da segurança pública passa a ser emitido diariamente, com informações sobre as ocorrências policiais registradas em todo o estado.


sábado, 5 de fevereiro de 2011

Vale compra área do Porto do Espadarte

A mineradora Vale comprou uma área de 3 mil hectares para a construção do Porto do Espadarte, em Curuçá, na região nordeste paraense. O projeto encurtaria em 400 km a distância entre as minas de Carajás e os navios de exportação – hoje, o escoamento da Vale é feito principalmente por Itaqui (MA). Ao arrematar por apenas R$ 10 milhões a área que pertencia à RDP Empreendimentos, empresa do holandês Hendrik van Scherpenzeel, a Vale desbancou concorrentes como o empresário Eike Batista e multinacionais chinesas e americanas.
A área adquirida pela Vale se espalha por quatro ilhas: Ipomonga, Areuá, Marinteua e Romana, distantes 12 km da cidade de Curuçá. Tanto interesse tem razão de ser: além de estar próxima a grandes concentrações de minério, estudos sobre a região mostram que ela seria ideal para receber navios com capacidade para carregar até 500 mil toneladas, que exigem um calado (profundidade) maior na área de atracagem.
O Espadarte seria uma das poucas alternativas viáveis para a mineradora expandir a logística portuária no Pará. O porto de Vila do Conde, em Barcarena, a 37 km de Belém, não tem condições de absorver a produção da Vale, pois está comprometido com a demanda da hidrovia do Tocantins, inaugurada em dezembro, que prevê um volume de 70 milhões de toneladas de carga por ano.
Segundo a cópia da escritura de compra e venda das ilhas obtida pelo DIÁRIO, a área é constituída de terrenos de marinha pertencentes à União. A RDP detinha direitos de ocupação e posse das terras, registradas na Delegacia do Serviço de Patrimônio da União em Belém. A mineradora diz que o órgão registrou a transferência de posse em 25 de novembro do ano passado. “A Vale não fez nada que não esteja dentro dos trâmites legais. Por enquanto, trata-se de uma aquisição fiduciária, e não de um projeto da mineradora”, argumenta o diretor de planejamento da Vale, Mauro Neves.
“Oportunidade estratégica em estudos”
Mauro Neves diz que o Porto do Espadarte ainda não pode ser considerado um projeto da empresa. Por enquanto, observa, trata-se de uma “oportunidade estratégica” em estudo. O período de projetos preliminares de engenharia e de viabilidade ambiental deve durar pelo menos um ano. Passada essa fase, segundo o executivo, é pouco provável que a construção seja iniciada antes de 2015.
Neves explicou que o projeto de Curuçá não substituirá Itaqui. Virá posteriormente, para se somar à capacidade total de escoamento da mineradora. Embora nenhuma decisão definitiva sobre o porto tenha sido tomada, a empresa já antecipa que os investimentos irão além do trabalho de engenharia. Para fazer a ligação ferroviária entre as minas e Curuçá seria necessário construir um ramal ferroviário de 300 a 400 km de extensão, a partir da Estrada de Ferro de Carajás, afirma o executivo.
Ainda de acordo com ele, o Porto do Espadarte não entra nos planos de escoamento da Vale para os próximos cinco anos porque os investimentos feitos no terminal da Ponta do Madeira, no Maranhão, já contemplam a expansão da produção de Carajás até 2015, quando a capacidade deverá estar em 230 milhões de toneladas por ano.
Os investimentos do grupo em logística devem atingir US$ 5 bilhões neste ano, dos quais US$ 1,2 bilhão serão destinados ao terminal maranhense. (Diário do Pará)

Ibama embarga exportação de 17 mil cabeças de gado do Pará para o Egito

Altamira (04/02/2011) – Na tarde de hoje (04/01), o Ibama embargou  a exportação de cerca de 17 mil cabeças de gado para o Egito, sob suspeita dos animais terem sido criados em áreas ilegalmente desmatadas no Pará.  O rebanho pertence a uma empresa agropecuária, que pretendia enviá-lo de navio ao Oriente Médio, pelo porto de Barcarena, a 70 Km de Belém. Segundo a Superintendência do Ibama no Pará, a empresa foi notificada em 31/01 a comprovar que o gado tinha origem em áreas regularizadas para a atividade pecuária, e não em fazendas embargadas pelo Ibama. Se não comprovar a legalidade da carga em 48 horas, os animais serão apreendidos e doados a entidades sociais
Para comprovar a origem, a empresa precisaria ter apresentado a nota fiscal do produtor e a Guia de Trânsito Animal (GTA). Com estes documentos, o órgão ambiental verifica se as propriedades onde os animais foram criados estão regulares no  C.A.R. (Cadastro Ambiental Rural) e fora da lista de áreas embargadas mantida pelo instituto.
A agropecuária embargada, no entanto, até o momento, apresentou apenas a documentação da área de confinamento do gado que seria exportado, localizada próxima ao porto de Barcarena. O local, onde eles apenas aguardam o momento do embarque, não comprova que o gado não é fruto de atividade beneficada pelo desmatamento ilegal da floresta amazônica.

sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Mulheres são presas por tráfico em Paragominas

(Foto: Divulgação/PC)

Policiais civis da 13ª Seccional Urbana da Polícia Civil, sob comando dos delegados Wander Veloso e Ilton Monteiro, prenderam ontem (13) três mulheres acusadas de envolvimento no tráfico de drogas em Paragominas, nordeste do Estado. As prisões resultaram de uma operação de combate a pontos de venda de entorpecentes no município. O flagrante aconteceu após semanas de investigações na área. Com as presas, drogas, dinheiro da venda de drogas e objetos roubados foram apreendidos.

Maria de Nazaré Travassos de Oliveira, conhecida por “Naza”; Katiana da Silva Albuquerque, de apelido “Tati”, e Maria Regina Leite da Luz, conhecida por “Nancy”, vão responder por tráfico e associação para fins de tráfico de drogas. “Nancy” estava em liberdade condicional e já respondia pelo crime. Ambas foram encaminhadas ao Centro de Recuperação Feminino para permanecer recolhidas à disposição da Justiça. As ações policiais de repressão aos pontos de venda de drogas prosseguem no município por determinação do diretor de Polícia do Interior, delegado Sílvio Maués.
(As informações são da Polícia Civil)

Patrulhões previnem criminalidade no município de Paragominas

FISCALIZAÇÃO EM BAR

A equipe de policiais civis de Paragominas, nordeste paraense, sob comando do delegado Wander Veloso, diretor da Seccional Urbana, sob coordenação dos delegados Hilton Monteiro, Rafael Sedovim e Raimundo Xavier, intensificou os chamados "patrulhões" na cidade. A meta é prevenir modalidades de crimes. As operações causaram efeito positivo, pois tiveram reconhecimento imediato da comunidade de Paragominas. A ação policial contou com policiais civis e militares, agentes do Conselho Tutelar e Secretaria Municipal de Meio-Ambiente (SEMMA), da Prefeitura de Paragominas.  
Durante o período noturno, os agentes fizeram fiscalizações em bares para verificar a licença de funcionamento dos estabelecimentos, bem como a presença de adolescentes consumindo bebida alcoólica. Ainda, durante as abordagens, os policiais revistaram pessoas na tentativa de apreender algum objeto irregular, como armas e drogas. De acordo com os policiais, moradores chegaram a telefonar para a unidade policial de Paragominas para parabenizar a Polícia Civil pelo trabalho.

Siga o ParagoNews

Minha lista de blogs